segunda-feira, 25 de maio de 2009

INCÊNDIO NA VILA SOCÓ EM CUBATÃO


ELE MORRE POR FALTA DE DISCIPLINA E PELO EXCESSO DE SUA LOUCURA ANDA ERRADO ( PROVERBIOS 5.23)


Este vérsiculo da Bíblia resume bem o que ocorreu na Vila Socó em Cubatão em 1984. Aquela tragédia seria evitada se não houvesse FALTA DE DISCIPLINA E EXCESSO DE LOUCURA.

FALTA DE DISCIPLINA - Naquela época a Petrobrás não tinha uma visão de responsabilidade social que tem nos dias de hoje e mesmo sendo a empresa que mais estava tomando multa da CETESB, orgão que fiscaliza as emissões de poluentes e crimes ambientais, mesmo assim a Petrobrás não tomou na época as medidas para impedir que dutos de combustíveis tão exposto a uma tragédia como se via naquela época.


EXCESSO DE LOUCURA - A população na época também contribuiu para o seu próprio destino fatídico. Sabe-se que durante o vasamento de combustível no duto, muitas pessoas recolhiam o combustível visando lucros, levando de baldes e outros recipientes, combustivel para casa a fim de vende-lo. As pessoas muitas vezes vão abusando da sorte até os limites da irracionalidade. Todos sentiam o cheiro forte da gasolina, mas ninguém abandonou o local, até que houve a explosão.

A TRAGÉDIA

Muitos corpos nunca foram encontrados, porque até os ossos foram consumidos pelo fogo, familias inteiras desapareceram e ninguém reclamou os corpos, porque todos morreram



ASSISTA UM VIDEO DO INCÊNDIO CLICANDO NA IMAGEM ABAIXO




FAUSTO SIQUEIRA

da Agência Folha, em Cubatão
O fogo resultou do vazamento de 700 mil litros de gasolina de um duto da Petrobras que passava sob as palafitas da favela, à época com quase 6.000 moradores. Oficialmente, 93 pessoas morreram, o equivalente ao número de corpos encontrados.


Duas imagens são recorrentes nos relatos de quem, há 20 anos, sobreviveu ao inferno da Vila Socó, em Cubatão (SP): a do homem que colocou os filhos numa geladeira, na ilusão de assim salvá-los do fogo, e a de uma família ilhada pelas chamas em um barraco que nem sequer ficou chamuscado







BARRACOS VIRARAM CINZAS


Em 1984 ocorreu um grande incêndio em Cubatão/São Paulo/Brasil. Por coincidência eu estava morando em Santos, havia acabado de mudar-me do Estado de Sergipe e fui morar no morro São Bento, tinha 14 anos de idade . Naquela noite da escadaria da Rua Santa Luzia eu assisti este incêndio que chocou a todos nós brasileiros.






MANHÃ DO DIA SEGUINTE AO INCÊNCIO


O MOMENTO DA EXPLOSÃO


NOTICIA DA ÉPOCA NO JORNAL A TRIBUNA


IMAGENS DA TV TRIBUNA


CHEGADA DOS BOMBEIROS


A TI CLAMO, O JAVÉ, PORQUE O FOGO CONSUMIU...(JOEL 1.10)

Passado mais de duas décadas, a dor de quem perdeu tudo, inclusive a família, já está curada. Quem se apegou com Deus tocou a vida para frente. O que o fogo consumiu não tem mais como recuperar, é trabalhar e reconstruir a vida.

3 comentários:

Fabio Leal disse...

O que penso sobre o massacre de Gaza

O povo palestino padece horrores.

Bertolt Brecht afirmou: "Do rio que tudo arrasta se diz que é violento, mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem".
Quem conseguiria não reagir diante de grande opressão? Os palestinos vivem sem comida, sem o direito de ir e vir, sem trabalho, espremido numa faixa que mais parece um grande cortiço. Sim, há ódios antigos, mas eles reagem porque paz não existe sem justiça.

O governo de Israel promove um massacre absurdo sobre um povo geometricamente menos poderoso. Mas faz porque tem o respaldo dos Estados Unidos e conta com o silêncio corrupto dos países árabes.

A imprensa mundial está proibida de entrar na Faixa de Gaza. Quando Israel veta a imprensa mundial de testemunhar o que acontece ali, tudo fica muito suspeito. Será que o seu objetivo último não seria fazer uma limpeza étnica, ver-se livre de um povo que o odeia, sem ser denunciado pelo mundo livre?

Como sou líder de uma comunidade cristã, horrorizo-me com os evangélicos, que mais uma vez sustentam a leitura simplória da Bíblia que sempre fizeram. Para se manterem coerentes, apóiam um exército profissional numa carnificina sem precedentes. Tenho vergonha dos crentes! Já recebi e-mails celebrando as bombas como sinal da volta de Cristo (certamente eleitas pelo Divino), com direito a Aleluia, e acompanhados do mais abjeto chavão: "Deus está no controle"!

Sei de todos os argumentos, não sou ingênuo. Sobram explicações que legitimam o direito de um povo trucidar o outro. Os mortos das valas comuns, que entulham a história, foram enterrados com tais explicações. Para mim, basta um argumento, o de Jesus Cristo: "Vocês ouviram o que foi dito: 'Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo'. Mas eu lhes digo: 'Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus'" - Mt.5.43).

Violência só acrescenta ira ao ódio, para gerar mais morte. Não, não aprovo que os palestinos disparem foguetes, não concordo com o terrorismo (religioso ou de Estado), não faço vista grossa à ira fundamentalista islâmica que busca jogar Israel no meio do mar. Contudo alguém tem que quebrar o ciclo perverso da vingança. Sugiro que o mais forte comece. Só isso!

Soli Deo Gloria.

Zombie Outbreak disse...

Gostei do conteúdo, favoritado!

Anônimo disse...

Prepotente. Quem é você para julgar o que acontece? Se acredita em deus, deveria dizer que só deus que pode condenar. É muita arrogância sua fazê-lo.